"Atal, derivado de Atalaia que significa Torre ou lugar de vigia em situação elevada e Buh, meu apelido. Então Atal da Buh é meu lugar de vigilância, local onde estou e desabafo, meu refúgio de planejamentos e opiniões. Amém."

terça-feira, 31 de março de 2009

Projeto Enfermeiros Do Riso


Hoje fomos ao Hospital Infantil de Imperatriz - popularmente conhecido por Socorrinho - Para a realização do projeto chamado Enfermeiros Do Riso.
Fantasiados de diferentes personagens tivemos um convívio mais próximo com a nossa futura profissão e tivemos a oportunidade de ampliar nossa visão a um patamar superior ao que tínhamos visto até hoje. Larisse, Isa, Leticia e eu ficamos responsáveis por maquiar e pintar as crianças do Hospital. É extraordinário como, mesmo dentre tanto sofrimento elas têm essa capacidade de ainda ser criança, de serem vaidosas, de brincarem... São tão lindas e encantadoras! Tinha uma menininha que queria que nós a maquiássemos e procurou a gente em todas as enfermarias... Foi tão engraçado!
Mas quem fez mais sucesso mesmo foi o grupo da música e a Chiquinha! É incrível como personagens tão antigos assim, e que nem são de fábulas, nem de historinhas atraem e arrebatam elas! As crianças pediam muito: Chiquinha Chora!! E lá ia a Milla: - Ué, ué, ué, ué... Eu vou contar tudo pro meu pai!
Ah,pessoas que leêm esse blog foi uma experiência maravilhosa! O chato é que eu fui fantasiada de menininha Super-Poderosa e só uma menina que gostava do desenho me reconheceu (e ela era muito fã mesmo, porque pra reconhecer!) (Rss!)

domingo, 29 de março de 2009

Eu não quero que ele saiba...


" Eu não quero que ele saiba o quanto eu o amo. Nem que sinto muito a sua falta ou que quando estou nos braços dele sinto-me tão segura, protegida, amada e feliz. Não quero que ele saiba que às vezes imagino como será nossa casa, nossa vida, o pijama dele... Muito menos ainda que, quando a solidão bate (e quando bate, amassa um coração...) pego a foto dele, aquela que ele está de terno, sério, elegante, bonito e fico o admirando, por vezes recriando o sorriso que não existe na moldura. E quando essa mesma solidão volta e faz meu coração capotar, apanho todos os presentes que ganhei dele e abraçada a eles ponho a deitar-me naquele colchão mais fofo, pois nele as lágrimas secam mais rápido... E imagina que é ele ali, com seus braços fortes a envolver-me. De maneira alguma ele deve saber que me preocupo, que gostaria de saber se ele já jantou, se dormiu bem, se foi à fisioterapia como prometeu, se está usando aquela calça jeans, se está bem...
Eu não quero mesmo que ele saiba...
(Toc, toc, Toc...) (Ao abrir a porta deparo-me com uma velha senhora.)
– Boa Noite – respondi educadamente.
– Boa Noite linda menina...
– O que a senhora deseja?
– Vim fazer-te companhia, como sempre.
– Quem és? Perdão senhora, mas nunca a vi antes. – respondi aflita e praticamente pedindo socorro. Ela me angustiava.
– Ora, mas como não, se sempre andei agarrada a ti! Com exceção dos momentos em que estavas com ele.
–Não compreendo o que... – E ela interrompeu-me pôs se a falar:
– Calma minha jovem. Tudo bem, direi a ti quem sou. Chamo-me Saudade. E vim aqui para dizer-te que ele já sabe de tudo, tudo o que você queria que ele não soubesse... Ele também sente o mesmo, pois sempre o acompanho quando não estás perto.
E cuido dele. E cuido de você. Pois afinal se eu não existisse vocês não dariam valor ao tesouro mais importante da vida: O AMOR!
E então ela abraçou-me e sussurrou: – Ficarei contigo por mais três anos. Ainda faltam três anos...
Eu respondi: – Não. Estás errada. Arrume as malas, velhota. Ficarás comigo só por mais três anos.
Então ela sorriu e desapareceu. Sei que a velha Saudade está perto, sinto-a aqui.
E três anos passam rápido...


Autor: Buh

O Momento Dela


"Ela feliz correu ao meu encontro e gritou:
–Ele falou pra mim, ele falou!
–Acalme-se. O que houve?
– Ele me disse: 'EU TE AMO ', não 'IDEM' ,muito menos 'DOSTET DARUM' , nem em outro idioma, mas na nossa língua, da língua dele que grudou na minha, e com um beijo eterno, selamos o nosso amor..."


Autor: Buh

Palavras de uma conformação


"Na noite que chega
Ela se aconchega
Nos lençóis da cama
Longe de quem ama
Relembarando os momentos
Maravilhosos, em seus pensamentos
E ele espera ansiosamente
O momento que poderá revê-la novamente
Podendo assim dizer o quanto é importante
Sua amada amiga, namorada e amante.

E de longe eu avisto uma estrela no firmamento
E nesse momento escuto os dois sussurrando ao vento
Hoje não faço um pedido, mas sim um juramento:
Amar-te-ei até que a morte venha
Aqui, nas estrelas ou em Marte,

'Pois a gente não desenha...
Nós dois fazemos arte!' "

sábado, 28 de março de 2009

Piscianas...


Se existe uma mulher totalmente feminina essa mulher é do signo de Peixes.
Ela gosta de ser mulher, de se sentir protegida e acalentada pelo homem de que gosta como nenhuma outra mulher. Normalmente ela adora que o parceiro puxe a cadeira para se sentar, abra a porta do carro entre outras gentilezas. Muitas coisas que outras moças podem achar piegas, como passear ao luar ou passar as tardes em um parque de diversões com o namorado, para ela é um prazer. E esta feminilidade pode ser vista no modo de se vestir, falar ou se sentar à mesa. Elas são extremamente carinhosas e sempre estão prontas para surpreender o homem com alguma surpresa. Seja com uma roupa,ou fazendo uma declaração de todo seu afeto. Sim, para ela não tem hora certa ou limites para dizer o que sente. A pisciana é muito sensível às coisas que escuta. Um presente ou um jantar em um restaurante caro, nem sempre terá a mesma força de um "te amo!" para esta mulher.

Sonhos

"Quando sonhamos
Damos asas à liberdade
E nos permitimos o prazer
Que não nos proporciona a realidade..."

Autor: Buh

Anjo És


Anjo és tu, que esse poder
Jamais o teve a mulher,
Jamais o há-de ter em mim.
Anjo és, que me domina
Teu ser o meu ser sem fim;
Minha razão insolente
Ao teu capricho se inclina,
E minha alma forte, ardente,
Que nenhum jugo respeita,
Covardemente sujeita
Anda humilde a teu poder.
Anjo és tu, não és mulher.
Anjo és. Mas que anjo és tu?
Em tua fronte anuviada
Não vejo a c'roa nevada
Das alvas rosas do céu.
Em teu seio ardente e nu
Não vejo ondear o véu
Com que o sôfrego pudor
Vela os mistérios d'amor.
Teus olhos têm negra a cor,
Cor de noite sem estrela;
A chama é vivaz e é bela,
Mas luz não tem. – Que anjo és tu?
Em nome de quem vieste?
Paz ou guerra me trouxeste
De Jeová ou Belzebu?
Não respondes – e em teus braços
Com frenéticos abraços
Me tens apertado, estreito!...
Isto que me cai no peito
Que foi?... Lágrima? – Escaldou-me...
Queima, abrasa, ulcera... Dou-me,
Dou-me a ti, anjo maldito,
Que este ardor que me devora
É já fogo de precito,
Fogo eterno, que em má hora
Trouxeste de lá... De donde?
Em que mistérios se esconde
Teu fatal, estranho ser!
Anjo és tu ou és mulher?


Almeida Garret

quinta-feira, 26 de março de 2009

Tô com sintomas de saudades, Tô pensando em você...

“Em alguma outra vida,devemos ter feito algo muito grave,para sentirmos tanta saudade...
Trancar o dedo numa porta doí.
Bater o queixo no chão doí.
Doí morder a língua,cólica doí, doí torcer o tornozelo.
Doí bater a cabeça na quina da mesa,carie doí,pedras nos rins também doí.
Mas o que mais doí é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma brincadeira de infância.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade de nós mesmo,o tempo não perdoa.

Mas a saudad
e mais dolorida é a saudade de quem se Ama.
Saudade da pele,do cheiro,dos beijos.
Saudade da presença,e até da ausência consentida.

Você podia ficar na sala e ele no quarto,sem se verem,mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ele para a trabalho,mas sabiam-se onde.
Você podia ficar sem vê-lo,e ele sem vê-la,mas sabiam-se amanhã.
Contudo,quando o Amor de um acaba,ou torna-se menor no outro.
Sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.

Saudade é ba
sicamente não saber.

Não saber se ele continua fungando num ambiente mais frio.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
Se aprendeu a entrar na internet,se aprendeu a ter calma no trânsito.
Se continua preferindo cerveja a uísque...
Se continua sorrindo com aqueles olhos apertados,e que sorriso lindo.
Será que ele continua cantando aquelas mesmas musicas tão bem(ao menos eu admirava)?
Será que ele continua fumando e se continua adorando Mac Donald's?
Será que ele continua não amando os livros,e ela cada vez mais?
E continua não gostando de dar longas caminhadas,e ela não assistindo televisão?
Será que ele continua gostando de filmes de ação,e ela de chorar em comédias.
Será que ela continua lendo os livros que já leu?
Será que ele continua tossindo cada vez que fuma?
Saber é não saber mesmo!!!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais longos,não saber como encontrar
tarefas que lhe cessem o pensamento.
Não saber como frear as lágrimas diante de uma música,não saber como vencer a dor
de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ele está com outra,e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está feliz,e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...
É não querer saber se ele está mais magro,se ele está mais belo.
Saudade é nunca mais saber de quem se Ama e ainda assim doer.
Saudade é isso que senti(e sinto) enquanto estive escrevendo e o que você
provavelmente estar sentido agora depois que acabou de ler.”

Martha Medeiros

quarta-feira, 25 de março de 2009

E se eu morrer antes de você...

Se eu morrer antes de você, faça-me um favor. Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado. Se não quiser chorar, não chore. Se não conseguir chorar, não se preocupe. Se tiver vontade de rir, ria. Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão. Se me elogiarem demais, corrija o exagero. Se me criticarem demais, defenda-me. Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam. Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo. Se falarem mais de mim do que de Jesus Cristo, chame a atenção deles. Se sentir saudade e quiser falar comigo, fale com Jesus e eu ouvirei. Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a você, lá onde estiver. E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase : ' Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus !' Aí, então derrame uma lágrima. Eu não estarei presente para enxuga-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar. E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu. Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha na direção de Deus. Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz vendo você olhar para Ele. E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente, vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele. Você acredita nessas coisas ? Sim??? Então ore para que nós dois vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, e que morramos como quem soube viver direito. Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo. Eu não vou estranhar o céu . . . Sabe porque ? Porque... Ser seu amigo já é um pedaço dele !

Vinícius de Moraes
©2011 Todos os Direitos Reservados ao Blog Atal da Buh Por Bruna Matos
Blog Widget by LinkWithin